Comodoro

Conto: O Menino do Rio

Nosso navio, depois de uma travessia oceânica procedente da Europa, chegou ao México, no porto de Vera Cruz. Como de praxe, fomos logo ao portaló (porta de entrada) receber os ilustres passageiros que deveriam embarcar naquele porto. Na lista, constava um grupo de estudantes, dois casais de engenheiros oceanográficos, dois meteorologistas, três agentes marítimos da América Central e a numerosa família do Vice-Cônsul brasileiro, cujo neto contava nove anos de idade.

Continuar lendo

Conto: Dia 12 de outubro

Dia 12 de outubro, além de ser o Dia das Crianças, é dia santo brasileiro, feriado nacional - quando comemoramos o dia de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil. O amanhecer do dia 12 de outubro de 1975 caía em um domingo. Nosso navio concluía uma travessia pelo Atlântico, regressando da Europa para o Brasil, depois de uma viagem tranquila e feliz. Já estávamos em águas brasileiras, contudo bem longe da costa.

Continuar lendo

Conto: A mala sem alça

O Comandante Fabrício concluiu sua viagem de afretamento entre portos europeus e portos do Mediterrâneo. Após sete longos meses, seu navio aportava no Rio de Janeiro. O homem estava feliz da vida. Os afretamentos foram um sucesso, recebeu boas bonificações, conseguiu juntar uma grande bolada em dólares. Naquele momento, ele se preparava para desembarcar e gozar de um bom e merecido descanso. Após a atracação e a passagem de comando, suas bagagens foram desembarcadas para a condução que o aguardava no cais.

Continuar lendo

10 superstições marinheiras que você já ouviu a bordo

A vida marinheira é milenar, talvez bem mais do que isso. Nos primórdios da civilização, o homem já navegava sobre troncos e de tanto aprendizado e experiências somadas à sua vida atípica, surgiu a jurássica e pitoresca superstição marinheira. Há séculos, os marinheiros carregam consigo manias, cismas, preconceitos, costumes, tradições e repassam seus medos, receios e ansiedades para seus sucessores, através das gerações. A lenda conta que Ulisses e seus comandados vedavam os ouvidos para não se atirarem ao mar, seduzidos pelos cantos das sereias.

Continuar lendo

Conto: O 11 de Setembro

Eu comandava o navio Flamengo, que fazia a Linha da América do Norte – Brasil, com viagens rápidas e completas de vinte e oito dias. Como regra básica da United State Coast Guard, quarenta e oito horas antes da chegada ao primeiro porto, temos que enviar uma mensagem, informando as características do navio, sua carga, procedência, calados, as condições da máquina e de seus equipamentos, seus certificados, enfim, tudo referente ao navio, sua salvatagem e segurança, seguindo fielmente as determinações do CFR (Code Federal Regulation).

Continuar lendo